quarta-feira, 27 de novembro de 2013

Irreversível.


Eu sempre achei fenomenal essa gente animada. É sério. Acho bem bonito, pessoas que sabem ter a alegria num simples bom dia. Gente que consegue enxergar melodia na campainha do despertador. Eu não! A imensidão do dia sem nenhuma certeza me deixa numa quase dúvida, sem saber que rumo tomar. A expressão do meu rosto denuncia que, embora eu queira ventos mais brandos, nunca consigo expressar isso e contagiar a galera de plantão.
Solto minha promiscuidade com tamanha velocidade e quando percebo a merda tá feita. Não há como reparar. E não é por falta de reflexão, pois desconfio que penso mais do que deveria. 
Com um pouco de sorte, tenho fé que descobrirei o que há por trás das minhas intempéries. O calor dos trópicos, talvez seja uma boa resposta! De qualquer maneira nunca consegui me divertir engolindo sapos que deveria vomitar. E por pura falta de tato, tento dar o meu grito de liberdade, mas o infeliz sai fanhoso. 
Penso que o espelho trará a resposta. Olho e encaro o fato de que não sou imortal. Fico num desalento só. Ressentida, expresso com grande facilidade a patética verdade. Não consigo embolar, com legítima habilidade as entrelinhas do dia a dia, onde surpresas generosas não caem feito pingos d’água em dias de chuva abundante. 
Admiro de coração quem irradia luz. Considero forte quem tira o peso do ombro e enxerga bons motivos para caminhar sem nada. Reverencio quem acumula energia o suficiente para sustentar o conceito de que tudo é simples, prático e informal. Tudo vira moda, tudo vira luxo. Tudo é bonito lá em Bagdá porque nesse hemisfério está tudo frito pra cacete.
Aqui o sol não raiou. O tempo não esperou a roupa secar. As flores murcharam em plena primavera. O chão tinha pedregulhos e a prova é que o joelho ficou ralado. O vento foi ao contrário. O gol foi do contra. Tive birras e isso é absolutamente normal. Intensa e irreversível são as minhas pirraças, o restante é contração do peito e esforço enorme do olhar. 
Por segundos, babo com alguns encantos, mas não dura o tempo necessário para enxergar tudo cor de rosa. E se tudo isso for acúmulo de ranços velhos, para evitar, bem que a gente poderia nascer todas as manhãs e morrer ao anoitecer para zerar tudo. 
Queira me perdoar, mas é que estou lotada até a tampa de fantasmas, marcas e histórias que não me dão a capacidade para atuar como vitoriosa. Sentei na última fileira. Fiz como aplausos, apenas gestos leves com as mãos. Confirmei que tudo é bom e ruim. Amargo e doce na mesma proporção. Cuidei de minhas chagas, mas elas não desapareceram. Tenho rispidez nos atos. Não sou suave no falar. E aceito que a vida me fritou. No mais, tenho a ilusão de que sou feliz e finjo muito bem.

(Ita Portugal)

terça-feira, 26 de novembro de 2013

Me faz perder o sono.

Diz a lenda que quando não conseguimos dormir à noite, é porque estamos acordados no sonho de alguém.

 (Fernando Chatuala)




Hoje, antes de dormir, pense em mim. Assim, mesmo em silêncio. Mesmo sem me avisar. De algum jeito insano pensar que você pensa em mim e perde um cado do sono, me faz perder o meu sono, também. E, no fim, a gente sempre sonha com quem nos rouba o sono.

(Hugo Rodrigues)


A hora é agora.


Explique-se ao destino, peça perdão aos falsos sonhos e recue quando atingir o limite. 
É hora de reinventar aquela velha história, viver um grande amor, saltar de Bungee jump, deitar na grama e receber as bênçãos. 
Cuidado, cuidado com o preço que você terá que pagar se, ao longo da vida, você temer jogar tudo pro alto. 
A hora é agora, o tempo não é seu, Deus comanda, mas você só tem essa vida, portanto, viva.

(Ju Fuzetto)

Um segredo.


Não podemos prever as ações de outra pessoa, não mesmo. Outra pessoa é, no fundo do seu coração, desconhecida. E se não podemos conhecer uma pessoa o suficiente, para adivinhar do que ela é capaz, certamente não a conhecemos o suficiente para dominá-la, controlar seu comportamento, lutar, manipular, adular, cuidar ou acalmá-la para fazer o que deve ser feito ou não. As pessoas sempre farão o que quiserem. O segredo é admitir que não temos controle sobre esse fato.


(Deb Caletti in Um Lugar para Ficar)

Mulher.



Porque a mulher é um conjunto. Um dicionário completo. Mulher é um devaneio perfeito e um paraíso primoroso. A mulher tem em seu sorriso a arma mais poderosa do mundo e em seu colo o centímetro mais caro da Terra. Espaço esse que nenhum arranha-céu moderno de Dubai consegue se comparar.

A mulher nasceu para ser dona do mundo. E não me venha com essa história de que Eva foi feita da costela de Adão. A mulher nasceu primeiro. Fez as flores, os jardins e os bichinhos. Depois, sentiu falta de um colo masculino e de alguém para matar os insetos nojentos que surgiram por acaso. Aí sim, houve a necessidade de um companheiro. No dia que a mulher descobrir que possui as rédeas de qualquer relacionamento, os homens terão que fazer muito mais do que piadas irônicas, recitar músicas do Chico Buarque e ter um peitoral confortável para atrair à atenção feminina.
(Hugo Rodrigues)

Trocando em miúdos (I)



Quero saber amar quando for necessário e aceitar as despedidas quando elas forem inevitáveis. Viver sem arrependimento para evitar a chegada das culpas. Além da casa cheia de gente quero ter um coração ocupado de sentimentos. Não quero mais acumular arrependimentos do que não fiz. Procurarei entender que se não fiz, é porque uma força maior impediu. Não darei atenção aos rumores dos meus pensamentos que colocam dúvidas e abafam meus questionamentos. Não vou insistir em entender aquilo que não faz muito sentido. Vou sim, sentir o afeto inevitável, conferindo para quem devo oferecer meus sentimentos. Quanto aos ganhos, eu sei que são resultados de lutas e eu espero que não sejam árduas demais, mas toleráveis para que eu possa suportar e não precise derramar tanto suor e principalmente nenhuma lágrima. Sobre as perdas, que não me cause tanto medo, não me prive a liberdade e não me ampute os sonhos. Perder com dignidade e ganhar com sabedoria.

(Ita Portugal) 

Eis a minha decepção.



Deixei de acreditar em amores perfeitos, quando passei a entender duas coisas: que perfeição não existe, e que o amor é muito mais do que aquilo que a gente supõe que ele seja. Eu acho que nunca amei de verdade. Eis a minha decepção. 
(Bibiana Benites)

segunda-feira, 25 de novembro de 2013

O que nunca foi.


Onde quer que eu vá, Madri, Barcelona, na esquina, Santa Catarina, ou do outro lado da rua, por onde eu siga, levarei tua voz, tuas rimas engraçadas, teu riso.
Levarei teu beijo grudado no pensamento, levarei teu corpo embalado na vontade de nunca te esquecer. Levarei um pouco da tua história, do jeito bandido, ora bendito que foste em minha vida.
Levarei dúvidas congeladas pra servir em noites quentes, levarei certezas, uma porção delas. Levarei a saudade, a maldita que me matará em noites de lua cheia.
Levarei teu bronzeado pra mesclar na brancura que me veste. Levarei  o teu jeito de me tocar por dentro.
Levarei o amargo do que nunca foi, mas que poderia ter sido. Levarei você no oco do peito que jamais será preenchido. 

(Ju Fuzetto)

Aquilo que me define.


Que desça a terra escorrida, convertendo minha longa noite num ritual que promete a felicidade. Antes do fim dessa linha, vou amar 17 vezes, pedir abraços iluminados de setembro, correr de volta à infância antiga e sobretudo agradecer por essa vida, por esse dia, por tudo que não tenho e tudo que não tive. 

O que me falta ou faltou será sempre aquilo que me define.


(Tiago Fabris Rendelli)

Ainda tenho sonhos.


Eu também sou vítima de sonhos adiados, de esperanças dilaceradas, mas, apesar disso, eu ainda tenho um sonho, porque a gente não pode desistir da vida.


(Martin Luther King)

Premiada!! :)

Fluescentes,

Participei da promoção da querida e linda Ju Fuzetto e hoje saiu o resultado! Ganhei seu livro "Um lugar ao sol, perto do vento". Estou muito feliz e doida para recebê-lo!!


"Não preciso ser boa o bastante pra ganhar o mundo, mas preciso ser humana além dos limites pra alcançar outras esperanças." 


domingo, 24 de novembro de 2013

Solidão.

Dividir é muito bom, compartilhar com o outro pode ser incrível, mas nada tira da minha cabeça que nossas maiores transformações acontecem quando estamos a sós. E são essas mudanças e descobertas as responsáveis pelo encanto que causamos. Graças a elas os encontros articulados pela vida podem ser tão bons. Momentos solitários são como treinamentos, uma espécie de ensaio. Encarar a si mesmo é um preparo necessário para encarar os outros.  

(Fernanda Gaona)


Eu caminhei por aquelas ruas escuras e vazias durante uma eternidade até chegar no portão de casa. Até me dar conta de que eu também estava me deixando um pouco a cada passo, a cada curva. Eu estava deixando uma história para construir outra. Eu estava construindo uma nova pessoa em mim. Eu estava sentindo. Eu estava sentida. Sozinha. E eu precisava daquilo. Eu precisava de mim de novo.
(Bibiana Benites)

Estou indo.


Estou indo pra lua, pra rua ou pra qualquer lugar comum. 
Vou indo. Vou sair da casca, do quarto, de casa. Vou à hora certa. Então, estou indo mesmo para ver a primavera, o sol brilhar, a lua sumir, o céu acordar e o dia surgir sem mesmice.
Estou indo para a estrada, sem mais ninguém para cantarolar comigo. Não faz mal. Faz muito bem porque estou indo.
Estou indo sem carregar nos ombros nenhum arrependimento. Indo de mala e cuia para o próximo planeta mesmo que eu não passe da primeira esquina. Estou indo para os quatro cantos do mundo.
Estou indo sem medo, sem nada, sem nenhuma garantia de felicidade. Estou indo.
Sem trocadilhos, sem encomendar certezas, sem exigir saudade, eu estou indo.
Estou indo sem tapear o desejo, sem melancolia, sem roteiro, garrafa de café, bússola ou caixinha de remédios.
O que interessa é que estou indo sem estacionar na próxima parada. De malas prontas eu estou indo para fora de mim. Apressada, estou indo.
Estou indo experimentar o gosto dos imprevistos.

 (Ita Portugal)

Singular.



Ele enxerga a minha essência e causa um efeito deliciosamente singular em mim.

(Bibiana Benites)


Do resto.


Do resto ninguém precisava saber. Quando falo de resto refiro-me ao que deu errado, ficou para trás, decepcionou, machucou. Falo das portas fechadas na cara, das pisadas no peito, tiradas maldosas de ar, ilusões da vida para nos dar uma rasteira. Falo daquilo que ninguém quer, mas que a gente faz o de sempre: passa por cima - ou finge que passa. E saí pela rua com a cara deslavada de quem é feliz. Ninguém, ninguém mesmo precisa saber do nosso esforço para tentar ser qualquer coisa além do que não deu certo.

(Camila Costa)

Acredito, como dois e dois são quatro.


Acredito na lei do retorno. Num mecanismo chamado TEMPO, que coloca tudo e cada coisa em seu devido lugar. Acredito também que nada passe despercebido aos olhares de Deus. Sendo assim, a pior mentira não é aquela que você insiste em contar aos outros, mas aquela que você conta a si mesmo todos os dias, pois é ali que mora a certeza da colheita certa do que um dia foi plantado. Acredito também, tão certo como dois e dois são quatro, que o tempo, de maneira implacável, passa.


(Virgínia Mello)

Atitudes.



A boca fala o que quer... mas são as atitudes que provam e confirmam o que realmente somos. Não acredite em algo só porque ouviu falar. As pessoas são aquilo que fazem e não aquilo que dizem. 

(Victor Sálvaro)

quinta-feira, 21 de novembro de 2013

Me calo e deixo para os Deuses.


Não crio mais expectativas em relação a algo ou alguém. Cansei, sabe? Não é decepção nem nada assim. Cansei da ansiedade de ficar esperando, cansei de taquicardias descontroladas, do mundo virar do avesso, do sono mal dormido. Por isso, já há algum tempo, simplesmente deixo rolar sem me lembrar demais. Se acontecer, aconteceu. Se não, paciência. Me calo e deixo os Deuses trabalharem no Universo.


(Paolla Milnyczul)

No fim, ela sorri.



"E não adianta tentar feri-la, ela seguirá sorrindo um riso de quem parece ser à prova de balas e decepções. Ninguém sabe dizer se é falsete ou coisa assim. No fim, ela sorri de qualquer forma."

(Hugo Rodrigues)


terça-feira, 19 de novembro de 2013

Ser feliz hoje.


Coloquei a fitinha no dedo, só pra não esquecer que eu tenho que ser feliz hoje. 
Mais que ontem e menos que amanhã. 

(Bibiana Benites)

Não mexe comigo.


Não mexe comigo que eu não ando só
Eu não ando só, que eu não ando só
Não mexe não
Eu tenho zumbi, besouro o chefe dos tupis

Sou tupinambá, tenho erês, caboclo boiadeiro
Mãos de cura, morubichabas, cocares, arco-íris
Zarabatanas, curarês, flechas e altares.
A velocidade da luz no escuro da mata escura
O breu o silêncio a espera. Eu tenho jesus,
Maria e josé, todos os pajés em minha companhia
O menino deus brinca e dorme nos meus sonhos
O poeta me contou

Não mexe comigo que eu não ando só

Eu não ando só, que eu não ando só
Não mexe não

Não misturo, não me dobro. A rainha do mar

Anda de mãos dadas comigo, me ensina o baile
Das ondas e canta, canta, canta pra mim, é do
Ouro de oxum que é feita a armadura guarda o
Meu corpo, garante meu sangue, minha garganta
O veneno do mal não acha passagem e em meu
Coração maria ascende sua luz, e me aponta o
Caminho.


Me sumo no vento, cavalgo no raio de iansã,
Giro o mundo, viro, reviro tô no reconcavo
Tô em face, vôo entre as estrelas, brinco de
Ser uma traço o cruzeiro do sul, com a tocha
Da fogueira de joão menino, rezo com as três
Marias, vou além me recolho no esplendor das
Nebulosas descanso nos vales, montanhas, durmo
Na forja de Ogum, mergulho no calor da lava
Dos vulcões, corpo vivo de xangô
Não ando no breu nem ando na treva
Não ando no breu nem ando na treva
É por onde eu vou que o santo me leva
É por onde eu vou que o santo me leva
Medo não me alcança, no deserto me acho, faço

Cobra morder o rabo, escorpião vira pirilampo
Meus pés recebem bálsamos, unguento suave das
Mãos de maria, irmã de marta e lázaro, no
Oásis de bethânia.
Pensou que eu ando só, atente ao tempo num
Começa nem termina, é nunca é sempre, é tempo
De reparar na balança de nobre cobre que o rei
Equilibra, fulmina o injusto, deixa nua a justiça

Eu não provo do teu féu, eu não piso no teu chão

E pra onde você for não leva o meu nome não
E pra onde você for não leva o meu nome não

Onde vai valente? você secô seus olhos insones

Secaram, não vêêm brotar a relva que cresce livre
E verde, longe da tua cegueira. seus ouvidos se
Fecharam à qualquer música, qualquer som, nem o
Bem nem o mal, pensam em ti, ninguém te escolhe
Você pisa na terra mas não sente apenas pisa,
Apenas vaga sobre o planeta, já nem ouve as
Teclas do teu piano, você está tão mirrado que
Nem o diabo te ambiciona, não tem alma você é
O oco, do oco, do oco, do sem fim do mundo.

O que é teu já tá guardado

Não sou eu que vou lhe dar,
Não sou eu que vou lhe dar,
Não sou eu que vou lhe dar

Eu posso engolir você só pra cuspir depois,

Minha forma é matéria que você não alcança
Desde o leite do peito de minha mãe, até o sem
Fim dos versos, versos, versos, que brota do
Poeta em toda poesia sob a luz da lua que deita
Na palma da inspiração de caymmi, se choro, quando
Choro e minha lágrima cai é pra regar o capim que
Alimenta a vida, chorando eu refaço as nascentes
Que você secou.
Se desejo o meu desejo faz subir marés de sal e
Sortilégio, vivo de cara pra o vento na chuva e
Quero me molhar. o terço de fátima e o cordão de
Gandhi, cruzam o meu peito.
Sou como a haste fina que qualquer brisa verga
Mas, nenhuma espada corta
Não mexe comigo que eu não ando só

Eu não ando só, que eu não ando só
Não mexe comigo


(Maria Bethânia - Carta de Amor)

O problema das mulheres.


Existem mil formas de eu me apaixonar por uma mulher. Uma delas é quando a pequena está fazendo rabo de cavalo no cabelo enquanto fala e, quando termina, debruça seus cotovelos sobre a mesa, me olha como se nada mágico tivesse acontecido e me pergunta algo clichê como “o-que-a-gente-vai-jantar-hoje?"
Ou quando a pequena não sabe se ri ou se morde, aí me dá um risinho mordendo a parte de baixo do lábio, sabe?

Esse é o problema das mulheres: tudo nelas é apaixonante.


(Hugo Rodrigues) 

Viciado em solidão.


“Estou me transformando aos poucos num ser humano meio viciado em solidão.”


(Caio Fernando Abreu)

segunda-feira, 18 de novembro de 2013

As gentes.

(...) Sim, é verdade, eu tenho medo das gentes, pra dizer a verdade eu me cago de medo das gentes! O que eu tenho visto de pulhas, de máscaras atadas dia e noite sobre umas caras de pedra... O que eu tenho visto de mesquinharia, de crueldade, de torpeza, de estupidez...


(Hilda Hilst)



Ainda não tinha aprendido o quanto a natureza humana é contraditória; não sabia quanta hipocrisia existe nas pessoas sinceras, quanta baixeza existe nos nobres de espírito, nem quanta bondade existe nos maus. 

(William Somerset Maugham)

Mudei a rota.


Esqueci a tal exatidão.
Dar nome aos bois, colocar os pingos nos "is",
bater de frente. Tirei férias disso tudo.
Se algum desaforo bater à minha porta, não atendo.
Canto ciranda, enfeito minhas tranças,
converso com a esperança.
Perdi minha mala
carregada de ressentimentos na estrada do sossego.
Mudei a rota,
arranquei as portas que aprisionavam meu sorriso.
Me perdi do tempo. Me encontrei em mim.


(Renata Fagundes)

Questão de escolha.


É preciso aprender: não há vida idealizada. Há vida. E é ai que dá pra fazer o melhor que a gente pode. Pra poder chegar lá na frente e não querer voltar, mas falar que 'pode não ter sido o mais bonito, mas foi o melhor que pude'. É ai que entra a tal da escolha. Escolhas que podem dar errado. Que podem dar certo, ou então que deram errado pra dar certo sem saber. Afinal, a vida não acaba depois da morte. Morrer, acreditem: é só uma passagem! E viver pode ser bem mais difícil do que se imagina. Mas isso também é só uma pequena escolha!


(Vanessa Leonardi)

domingo, 17 de novembro de 2013

Prece Celta.


Que o vento leve amor ao teu coração.
Que tudo que é nocivo se afaste de ti.
Que tu te encantes com o presente da vida.
Que tua alma seja curada na luz e no amor incondicional.


(Prece Celta) 

Dos abstratos absurdos.


De concreto, não tenho eira e nem beira. E dos abstratos absurdos, tenho sonhos contratados, caminhos virgens, borboletas nas ideias, delírios iluminados, ilusões de todas as cores, aventuras secretas, becos cheios de histórias, uma imaginação desassossegada para nascer poesia.

(Ita Portugal)

Ela estava ali.

E ela estava ali, com uma cara de quem não queria nada de ninguém, mas quase pedindo um carinho na nuca, um alguém que lesse Gabito dizendo que lembra dela ou que ouve aquela canção do Cícero e morre por dentro a chamando de minha-Dindi. Sei lá.

Ela não queria conversar. Mas queria ouvir que tudo ficará bem.


(Hugo Rodrigues)

Limpeza.


O que importa não é ser diferente. É ser autêntico, sermos verdadeiros conosco mesmos. É o que nos faz viajar nesta Vida com Alegria, em Paz, leves... quase que ganhamos asas e voamos. A leveza e a autenticidade implica deixar fora tudo o que já não nos serve, medos, necessidades, feridas... Quanto mais limpamos, mais o nosso brilho resplandece, mais descobrimos a nossa essência, mais conseguimos chegar à chave, que é sempre única, da nossa Alma, mais nos aproximamos da nossa Verdade, a única que nos serve.
(Girassol Célia)

quinta-feira, 14 de novembro de 2013

Padrões.


Com sorte, seremos capazes de perceber, em algum momento da existência, que correr atrás de padrões que todo mundo quer é uma tolice. 
Cada um de nós é tão específico, tão diferente dos demais.                                                                                                                       

(Ivan Martins)

A realidade.


É, eu confesso que não é exatamente a realidade que eu esperava encontrar. Talvez isso mude. Talvez você entre na minha vida sem tocar a campainha e me sequestre de uma vez. Talvez você pule esses três ou quatro muros que nos separam e segure a minha mão, assim, ofegante, pra nunca mais soltar. Talvez você ainda possa pular no rio e me salvar. Ou talvez eu só precise de férias, um porre e um novo amor. Porque no fundo eu sei que a realidade que eu sonhava afundou num copo de cachaça e virou utopia.


(Caio Fernando Abreu)

Vivo do avesso.


É sério, vivo do avesso. Nasci errado e continuo errante. Meu ser é de dentro pra fora e nunca o contrário. Mas dei sorte, também. Meu traje mais lindo é visto, apenas, por quem se dá o trabalho de atravessar todas as camadas de minha pele. É difícil, complicado e até impossível para alguns. Não por birra, mimo ou infantilidade. É que sou realmente assim, sabe? Mas quem rompeu minhas barreiras e tocou no eu-mais-eu que tenho até afirma que a maior dificuldade do mundo não é entrar em mim, mas, sim, querer sair daqui. É como eu digo: "Feche os olhos e enxergue meu paraíso." Caso contrário, serei apenas mais um cartão postal no livro da vida de outrem.
(Hugo Rodrigues)

Mulheres.


Mulheres gostam de detalhes, uma linha branca nas unhas, um brinco de pedrinha ou o colorido bonito da sola das sandálias altas. A maioria das mulheres não se importa com quanto dinheiro você tem na carteira. Mas elas não esquecerão de que você se ofereceu para pagar a conta no primeiro encontro. Abrir portas é, literalmente, abrir portas. Do carro, do elevador, da sala, do quarto e todas as outras. Cavalheirismo não saiu de moda e nem é sinal de homossexualidade.

Mulheres andam no canto da calçada e sentam sempre nas janelas. Mas em restaurantes, ficam ao teu lado – nunca na frente. Mulher gosta de ter um ombro pertinho para ela repousar um cado do sono de um dia inteiro de trabalho ou coisa do gênero. Assim como no cinema, no auge do romantismo de uma comédia qualquer, ela vai se ajeitar em você e te fazer carinho com o dedão. Caso seja observador, vai perceber que haverá um brilho diferente em seus olhos e ela sorrirá sem mostrar os dentes. Um risinho miúdo que te engolirá por inteiro, cê vai ver.

Por incrível que pareça – por mais bonita que seja  – ela irá preferir elogios sobre sua personalidade ao seu corpo. Há milhões de caras por aí a lhe chamar de “gata”, “princesa”, entre outros adjetivos vomitantes. Mas ela vai te guardar com carinho se conseguir reparar que ela pediu sanduíche sem picles ou refrigerante zero e que observou o livro que ela carregava na bolsa ou o perfume que ela usava. Usar roupas de marca ou tênis importado não é sinal de ser um bom partido. Mulher prefere um hippie de havaianas que reparou que ela cortou o cabelo do que um playboyzinho que nem sabe a cor dos seus olhos. Mulher gosta de palavras doces, não elogios cuspidos.

Mulheres gostam de sexo tanto quanto os homens. Mas preferem falar com gemidos a dois e, não, em conversas quaisquer. Existe uma garota de programa por debaixo de cada decote comportado por aí. Basta saber pagar o preço certo para tal privilégio. Mulheres gozam pelo clima e não pela penetração. Conseguem passar o dia inteiro com OB entre suas pernas e, mesmo assim, não se arrepiarem. Então, priorize o momento, a fala, o toque e a respiração ao pé do ouvido.

Para as mulheres, presentes querem dizer presença. Mais vale você dar um bombom durante trinta dias do que dar trinta bombons de uma só vez. Assim, ela saberá que você pensou nela em todas as aquelas vezes que você comprou e embrulhou o seu chocolate preferido.

Uma mulher vai hesitar te beijar pela manhã. Não é por mal, é por receio de te beijar com um hálito não muito agradável e poder perder o brilho dos teus olhos. Uma mulher irá querer estar sempre bela para você, seja em um jantar romântico ou num almoço qualquer.

Mulheres são confusas e atrapalhadas – só que em diferentes assuntos. É uma arma que elas usam para te fazer sentir necessário. Seja por um medo de um inseto qualquer ou por nunca se lembrarem de onde colocaram o controle remoto da TV. Prepare-se para se sentir um super-herói nesses momentos.

Mensagens de madrugada são sempre boas escolhas. Não precisa dizer muito, nem ser um mestre com as palavras. SMSs não são somente o que está escrito. Uma carinha bonitinha às três da manhã diz: “Não consigo dormir sem pensar em você” e, não apenas, uma combinação qualquer de um xis com um parêntese.

Quando estão chateadas, as mulheres assumem um lado egoísta. Odeiam dividir suas lágrimas ou reclamações com alguém. Isolam-se do mundo como eremitas e fazem greve de carinhos. Quando estão com ciúmes, as mulheres perdem o poder da fala e apenas soltam uns grunhidos quaisquer, mas gritam com as sobrancelhas altas e a testas franzidas.

Quando estão felizes, sorriem um mundo inteiro. Sorriem flores, borboletas e perfumes. Sorriso de mulher tem cheiro de colo. E se você for a razão das gargalhadas musicais de uma pequena, prepare-se, rapaz, a felicidade dela estará em tuas mãos e a tua vida nunca mais será a mesma.
(Hugo Rodrigues)

terça-feira, 12 de novembro de 2013

O agora.


Sua jornada moldou você para seu bem maior, e foi exatamente o que precisava ser. Não pense que você perdeu tempo. Não existem atalhos para a vida. Foi necessária cada e toda situação que você encontrou para trazê-lo para o agora. E agora é o momento certo.


(Asha Tyson)

Eu sou.

 E a vida lá fora, me chama.


Nenhuma luta haverá jamais de me embrutecer,
nenhum cotidiano será tão pesado a ponto de me esmagar,
nenhuma carga me fará baixar a cabeça.
Quero ser diferente, eu sou, e se não for, me farei.


(Caio Fernando Abreu)

Um conselho.


Dou-lhe um conselho, filho. Nunca diga que uma mulher foi sua. Essas são coisas para nós. mulheres, dizermos. Só nós sabemos de quem somos. E nunca somos de ninguém. 


(Mia Couto in A Chuva Pasmada)

PS.

Ela sempre escolhe o cara errado, rapaz. 
É um jeitinho doce – quase estúpido – de pedir pra ser surpreendida.

(Hugo Rodrigues)

Quero.


Às vezes, um tico. Ou um teco. Ou até mesmo um cado. Um cadinho só. Uma besteirinha. Um tiquinho sequer. É o que eu peço. Ou o que preciso. Ok, não preciso. Mas eu quero. E quero muito, entende? Quero muito até o pouco que você pode me dar. Porque um pouquinho de amor já é uma tonelada e tanta.
(Hugo Rodrigues)

segunda-feira, 11 de novembro de 2013

Por aí.


Se você me encontrar assim, meio distante, torcendo cacho, roendo a mão, é que eu tô pensando num lugar melhor. Ou eu tô amando e isso é bem pior. Se você me encontrar rodando pela casa, fumando filtro, roendo a mão. É que eu não tô sonhando. Eu tenho um plano que eu não sei achar. Ou eu tô ligado e o papel pra acabar. (...) Se você me encontrar num bar, desatinado, falando alto coisas cruéis. É que eu tô querendo um cantinho ali ou então descolando alguém pra ir dormir. Mas se eu tiver nos olhos uma luz bonita, fica comigo e me faz feliz. É que eu tô sozinho há tanto tempo que eu me esqueci o que é verdade e o que é mentira em volta de mim.


(Cazuza)

Quem tem coragem de errar.


Que os mistérios da vida me liberte de todo o julgamento das minhas escolhas. Que o meu olhar seja corrigido e que eu possa me perdoar de cada erro, quem tem coragem de errar pode escolher os caminhos que o faz mais feliz.


(Denise Portes)