quarta-feira, 17 de dezembro de 2014

Das escolhas.


Não importa onde você esteja, importa onde você quer chegar.
A vida sempre vai te mostrar vários caminhos, mas você terá que optar por um. Bom ou ruim, eu não sei. Você só saberá indo. Sendo junto com ele.
Ainda menina, eu aprendi que a vida é uma "caixinha de surpresas". Meus pais sempre me ensinaram que, por mais que a gente queira, não se pode ter tudo. Que por mais que doa, é preciso escolher. É preciso abdicar de algo que você gosta muito, por algo que passou a se gostar mais. Naquele momento.  
Eu, por exemplo, já tive que fazer escolhas importantes. Já tive que trilhar caminhos de olhos vendados. Sem certezas do que me esperava do outro lado. De quem me esperava. Muitas vezes eu tive que caminhar sozinha. Eu tive que encontrar saídas. Respostas. Eu tive que me encontrar. Sozinha.
E eu me achei. E me perdi com o tempo.
Mas eu não desisti de mim, e me procurei novamente. E de tanto procurar acabei me encontrando. E não me perdi mais. Eu não me perdi mais de vista. E neste momento que eu olhei fundo pra dentro de mim, e escolhi um caminho. E segui.
E hoje eu vim aqui para agradecer.
Mesmo que algumas vezes eu tenha perdido, em contraponto, eu ganhei muito. Eu adquiri valores, eu me conheci mais. Eu aprendi a me ouvir mais. Eu conheci amigos verdadeiros, sentimentos novos. E formas de sorrir também. Eu virei uma pessoa nova. Todos os dias, eu passei a conhecer um pouco do que eu trazia dentro.
Tudo o que sou hoje, justifica a mulher que fui ontem. E isso me orgulha muito. É isso. É simples. Muito obrigada tempo.
(Bibiana Benites)

Um novo mundo.



E eu... que vivo das palavras, nem precisei delas. Criei um novo mundo... apenas com o teu olhar!


(Elliana Garcia)

O místico.




O místico é um poeta no sentido mais elevado.
Ele pode não escrever poesia; isso é irrelevante.

Ele vive poesia, ele é poesia. Ele não pensa na existência, ele a sente.

(Osho)

Amar, é.



Por puro vício, perseguia aquele com quem iria se fundir todos os dias para que não houvesse mais tempo e esperas. Amar, em sua cabeça, só podia ser simples, era a ausência definitiva do contínuo espaço.

Amar não era apenas. Amar, para ela, é. 

(Tiago Fabris Rendelli)


O silêncio de dentro.



Respirei fundo. Fiquei de pés descalços. Acendi os incensos de calêndula e saí purificando toda a casa. Coloquei aquela música que profundamente me toca. Deitei no chão na sala. Deixei meu corpo sentir tudo o que há tempos eu já vinha sentindo. Deixei que ele fosse tomado pelo silêncio de dentro. Aquele. Levemente doce. Nosso velho conhecido.
(Bibiana Benites)

domingo, 2 de novembro de 2014

Sobre o amor.


O que eu aprendi sobre o amor, filho, é que ele é feito de faltas e presenças. E que nenhuma das duas pode faltar. Aprendi que o amor é feito de liberdade. É como ter, todos os dias, muitas outras opções. E ainda assim fazer a mesma livre escolha.


(Cris Guerra)

Amar hoje.


Nada de deixar para amar amanhã o que eu posso amar hoje.

(Bibiana Benites)

Nota.


Uma coisa é você achar que está no caminho certo, outra é achar que o seu caminho é o único. Nunca podemos julgar a vida dos outros, porque cada um sabe da sua própria dor e renúncia.


(Paulo Coelho)

Dose exagerada.



Que a vida nos sirva hoje uma dose exagerada de afeto e fé. Que a coragem nos abrace apertado e nos impulsione a realizar todos os sonhos que deixamos empoeirar pelo tempo. Que o medo seja apenas mais uma razão para sair do lugar e transformar o nosso mundo.
(Marcely Pieroni Gastaldi)

Dos erros.


Não erra o homem que tenta diferentes caminhos, erra aquele que, por medo de se enganar, não caminha. Não erra o homem que procura a verdade e não a encontra, erra aquele que, por medo de não encontrar, deixa de procurá-la.
(René Trossero)

terça-feira, 28 de outubro de 2014

Deus no controle.




 Quando Deus está no controle tudo muda, o que vem para nos ferir perde a direção, as palavras do contra perdem o sentido e a maldade não chega. Isso não é ter sorte, é ter Deus. 

(Yla Fernandes)

segunda-feira, 20 de outubro de 2014

Lindo é.


Lindo é quando alguém escolhe pousar ao teu lado, podendo voar. Podendo encontrar até outros ninhos, outros caminhos, escolhe ficar.


sábado, 18 de outubro de 2014

Somos sol.


As nuvens, mesmo as mais densas, são transitórias. Nós, essencialmente, somos sol.

 (Ana Jácomo)

Se.


Se eu morresse agora, queria poder dizer o tanto que foi apreciar cada canto teu. O incrível de ser mais de um. O absoluto prazer de trançar minhas pernas às suas durante as inúmeras madrugadas. Adormecidas ou não. Se eu morresse agora, queria pedir desculpas por sentir algo tão grande. Algo que não cabe nas mãos. Algo que transborda em meu corpo, e jorra daqui como uma onda gigante. Ora para levar nosso barco para ilhas paradisíacas. Ora para destruir tudo que encontra pela frente. Ora pra ser uma tempestade de lágrimas. Ora pra ser uma chuva que enfeita nossas peles. Se eu morresse agora, iria pedir a Deus um pouco mais de você. Porque morrer não é problema. O ruim, é morrer de saudade. Saudades da tua boca e tudo o que há atrás dela. Saudades dos peitos, dos jeitos, dos tropeços perfeitos pela casa. Saudades dos planos e dos anos que ainda viriam. Saudades até dos futuros herdeiros que não vieram. Mas tinham nomes e sobrenome. E se Deus quisesse, viriam com o teu sorriso.


(Hugo Rodrigues)

Migalhas da memória.


Mas quando estou com ele fico tão pequena, entrego-lhe o que ainda me resta, ele vai embora e eu fico aqui, me sentindo incompleta, me sentindo um nada, sobrevivendo apenas de migalhas da minha memória.


(Caio Fernando Abreu)

Nota.

Seja seu equilíbrio,
seja seu ponto de paz,
seja seu porto seguro,
seja isso e um pouco mais.


(Sentigrafar)

sexta-feira, 10 de outubro de 2014

Caixa de Costura.



A gente podia poder costurar o tempo, bordando em cima dos erros para que eles sumissem.
Costurar as pessoas que gostamos pertinho.
Costurar os domingos, um mais perto do outro.
Costurar o amor verdadeiro no peito de quem a gente ama.
Costurar a verdade na boca dos seres.
Costurar a saudade no fundo de um baú para que ela de lá não fuja.
Costurar a auto- estima bem alto, pra que nunca ela caia.
Costurar o perdão na alma e a bondade na mão.
Costurar o bem no bem e o bem sobre o mal.
Costurar a saúde na enfermidade e a felicidade em todo lugar e ir costurando a vida, um pouquinho de esperança em cada dia e muita coragem em cada ser humano.

(Janaína Cavallin)

quarta-feira, 27 de agosto de 2014

Amnésia.


Faço o tipo distraída. Atenta ao todo e desfocada de tudo. Perdida em pensamentos, divagações, viagens interiores. Do tipo que esquece a bolsa quando encontra as chaves. Atrasada, sempre correndo, sempre esquecendo. Distraída do tempo, de rostos e nomes.
Mas nunca tinha ocorrido esquecer-me de mim. Amnésia mesmo. Olhar para o espelho e perguntar quem é aquela que sorri sem jeito e diz "muito prazer". Acordar e não saber que vida é aquela, ter a sensação de estar vivendo a vida de outra pessoa, não a minha.
Aconteceu comigo. Parece loucura porque não sofri nenhum acidente, não bati a cabeça nem tive traumatismo craniano. Mas de vez em quando a vida dá um "presta atenção" na gente. E eu precisei levar duas bofetadas para acordar. Um nocaute para estacionar.
Acordei com amnésia querendo saber como vim parar aqui, que pedaço de mim fez essa viagem e que parte ficou lá atrás, sem coragem de engatar a primeira marcha. Naquele dia acordei com saudade daquela que não fez as malas, da menina que parou no tempo e tinha muitas coisas para me contar porque segui a estrada distraída e ela esteve a me observar, sabia dos meus erros, entendia minhas fraquezas, foi espectadora da minha jornada.
Acordei sem identidade e quis me encontrar com aquela que sempre soube o que queria, com a parte de mim que tinha um olhar mais adocicado perante a vida.
Como no filme "A Dona da História" em que a Carolina de meia idade encontra-se com a Carolina de dezoito anos e se pergunta como teria sido a vida se tivesse feito outras escolhas, investiguei meu passado pra entender o presente. Revi fotos, reli cartas, mergulhei em diários. Voltei a escrever, reencontrei amigos, assisti a videos. Pouco a pouco a memória foi voltando, a comunicação se restabelecendo, o branco dando lugar ao entendimento.
Então uma noite recebi uma visitante ilustre. Era a menina dos diários. Passamos a noite revendo histórias, compreendendo as escolhas, aceitando os caminhos. No fim, me encarou com ternura afirmando que fiz a escolha certa, que estou no lugar que sempre desejei estar_ apesar dos conflitos, dúvidas e mágoas.
"Isso faz parte da vida"_ ela disse, e acrescentou: "Apesar de tudo, essa é a melhor versão da sua história"...
"E pode ser uma benção se você compreender que não é porque o caminho está difícil que ele está errado..."
No dia seguinte a memória voltou e tratei de ser feliz...


(Fabíola Simões, blog A Soma de todos os Afetos)

quinta-feira, 14 de agosto de 2014

Pra ele.

Há criaturas cujo destino é se conhecerem. Onde quer que estejam. 
Aonde quer que se dirijam. Um dia elas se encontram.




E depois da chuva, veio o sol. Naquela manhã havia mais de um sol na minha vida e eu ainda não sabia. Os olhos dele. Aqueles olhos me chamavam para dentro de sua alma e por algum motivo eu gostava daquela visão, daquela luz que vinha de dentro. Cambaleei e agora estou aqui entregue aos sentimentos inundados do amor. Amor daqueles que a gente sonha, e acha impossível acontecer. Daqueles que nos faz voar com os pés no chão e ter a sensação de estar apoiada firme em alguém e saber que, se vier alguma tempestade, os braços dele estaria, lá para me proteger.  Um amor nada repetitivo, único e do bem. Amor que transborda risos e sintonia. Amor que faz bem, que faz sorrir por dentro mesmo estando longe. Amor que caminha ao lado. Acho que nunca terminarei de comemorar a permanência do amor como um presente que recebi. Por algum motivo foi/é mágico nosso encontro e, se assim permanecer desejo o eterno ao lado dele e se não, desejo recomeços, insistências, porque amar é não desistir nos desafios da vida.
Dengo teu. Só teu.

(Rayana Krambeck)

Encanto.


Deus me livre de perder o encanto pela vida, 
embora ela não seja de todo encantada.


(Ita Portugal)

segunda-feira, 4 de agosto de 2014

De volta ao começo.




E o menino com o brilho do sol na menina dos olhos
Sorri e estende a mão entregando o seu coração
E eu entrego o meu coração
E eu entro na roda e canto as antigas cantigas de amigo irmão
As canções de amanhecer lumiar a escuridão
E é como se eu despertasse de um sonho que não me deixou viver
E a vida explodisse em meu peito com as cores que eu não sonhei
E é como se eu descobrisse que a força esteve o tempo todo em mim
E é como se então de repente eu chegasse ao fundo do fim
De volta ao começo
Ao fundo do fim
De volta ao começo.

(Gonzaguinha)

Vídeo: https://www.youtube.com/watch?v=wqKfsjyrLpE

quinta-feira, 31 de julho de 2014

Ensina-me.

 


Senhor,
Assim como todos os outros dias, amanhã também será árduo, fatigante e cansativo. Vou ver pessoas, umas que alegram meu coração, outras, que o entristecem. É inevitável. Olhares virão de encontro com o meu e muitos deles serão de desafeto. E no meio disso tudo, apenas peço: ensina-me a amar.

(Desconhecido)

quinta-feira, 17 de julho de 2014

Namorada.


 Se você quer ser minha namorada
Ai, que linda namorada
Você poderia ser
Se quiser ser somente minha
Exatamente essa coisinha
Essa coisa toda minha
Que ninguém mais pode ser
Você tem que me fazer um juramento
De só ter um pensamento
Ser só minha até morrer
E também de não perder esse jeitinho
De falar devagarzinho
Essas histórias de você
E de repente me fazer muito carinho
E chorar bem de mansinho
Sem ninguém saber porquê
E se mais do que minha namorada
Você quer ser minha amada
Minha amada, mas amada pra valer
Aquela amada pelo amor predestinada
Sem a qual a vida é nada
Sem a qual se quer morrer
Você tem que vir comigo
Em meu caminho
E talvez o meu caminho
Seja triste pra você
Os seus olhos têm que ser só dos meus olhos
E os seus braços o meu ninho
No silêncio de depois
E você tem que ser a estrela derradeira
Minha amiga e companheira
No infinito de nós dois.


(Vinicius de Moraes)

terça-feira, 15 de julho de 2014

Felicidade e amor.


Afinal, a felicidade e o amor se parecem. Não se tenta ser feliz, não se decide amar. É-se feliz, ama-se.

 (Mia Couto em "A confissão da leoa")


Viver.


Que a paz se instale, que a alegria floresça, que o amor perdure. Porque viver não é apenas existir. Porque existir não é apenas respirar.

 (Sandra Amélie)

sexta-feira, 11 de julho de 2014

Não sei.


Eu não sei sentir baixo. Não sei ser rasa diante da vastidão que é a vida.

(Bibiana Benites)

quinta-feira, 10 de julho de 2014

Sempre existe.


Sempre existe no mundo uma pessoa que espera a outra, seja no meio de um deserto, seja no meio das grandes cidades. E quando estas pessoas se cruzam, e seus olhos se encontram, todo o passado e todo o futuro perde qualquer importância, e só existe aquele momento, e aquela certeza incrível de que todas as coisas debaixo do sol foram escritas pela mesma Mão. A Mão que desperta o Amor, e que fez uma alma gêmea para cada pessoa que trabalha, descansa e busca tesouros debaixo do sol. Porque sem isto não haveria qualquer sentido para os sonhos da raça humana.
(Paulo Coelho)

quarta-feira, 25 de junho de 2014

Oração.


Pai/Mãe nosso que estais nos Céus e no centro do nosso peito.
Soberano entre tudo e todos.
Que sua vontade sempre prevaleça sobre a nossa.
Em qualquer lugar do Universo.
Dai-nos o alimento espiritual e material.
Perdoa e concede Misericórdia a todos que necessitam.
Proteja-nos das ciladas e da maldade humana.

(Rosiana Carvalho)

Nota III.

Ao contrário do que muita gente pensa, o amor não está naqueles que vivem de olhos atentos. É justamente na distração que você vai encontrá-lo.


(Bibiana Benites)

Presságio.


O AMOR, quando se revela,
Não se sabe revelar.
Sabe bem olhar p'ra ela,
Mas não lhe sabe falar.

Quem quer dizer o que sente
Não sabe o que há de dizer.
Fala: parece que mente...
Cala: parece esquecer...

Ah, mas se ela adivinhasse,
Se pudesse ouvir o olhar, 
E se um olhar lhe bastasse
P'ra saber que a estão a amar!

Mas quem sente muito, cala;
Quem quer dizer quanto sente
Fica sem alma nem fala,
Fica só, inteiramente!

Mas se isto puder contar-lhe
O que não lhe ouso contar,
Já não terei que falar-lhe
Porque lhe estou a falar...


(Fernando Pessoa)

sexta-feira, 20 de junho de 2014

Manto de fantasia.


Assim, estamos destinados a viver fazendo amor com o que não existe. É impossível amar uma fórmula de física. Mas um poema, uma canção, um raio de Sol refletido numa gota d’água – isso nos comove. Amamos uma pessoa não por aquilo que ela é, mas pelo manto de fantasia com que a cobrimos.
(Rubem Alves)

domingo, 8 de junho de 2014

Quantas almas tenho.


Não sei quantas almas tenho.
Cada momento mudei.
Continuamente me estranho.
Nunca me vi nem acabei.
De tanto ser, só tenho alma.
Quem tem alma não tem calma.
Quem vê é só o que vê,
Quem sente não é quem é,

Atento ao que sou e vejo,
Torno-me eles e não eu.
Cada meu sonho ou desejo
É do que nasce e não meu.
Sou minha própria paisagem;
Assisto à minha passagem,
Diverso, móbil e só,
Não sei sentir-me onde estou.

Por isso, alheio, vou lendo
Como páginas, meu ser.
O que segue não prevendo,
O que passou a esquecer.
Noto à margem do que li
O que julguei que senti.
Releio e digo: “Fui eu?”
Deus sabe, porque o escreveu. 

(Fernando Pessoa)




Cada um sabe de si.




Cada um sabe de si. Das fronteiras que deseja ultrapassar no próprio tempo. Alguns querem voar, outros tem medo de altura. Alguns querem profundezas abissais, outros não saem da superfície do mar. Alguns preferem se aventurar durante o dia, outros preferem a inspiração do silêncio noturno.
Eu quero voar. Eu quero os parques ensolarados em fins de semana. Eu quero monopolizar a lua no céu. E da minha estrela abstrata na Terra, quero o todo brilho. Quero conjugar os verbos que criei no presente e futuro mais que perfeitos. Mesmo não sabendo nadar, um dia quero mergulhar. Quero ter meu sorriso ensurdecedor mesmo banguela.
Sim, eu vou continuar crescendo. Mudando. Até o falecer da última célula. Do último suspiro sairá um beijo, uma prosa ou uma oração.

Felicidade para o maior número de pessoas. Respeito gratuito. Porque haverá uma dia em que a mudança não será permitida. E nesta hora seremos mais uma lembrança e nada mais. E algumas lembranças também morrem.

 (Jonathan Freitas)

Para ficar guardado.


E o tempo passa. Você passou, mas deixou sua marca no meu coração. Por mais que eu dizia que um dia iríamos nos encontrar e viver aquela história, hoje penso diferente. Tem pessoas que passam na nossa vida, para nos lembrar quem somos, para trazer luz, para sentirmos que não somos sozinhos no mundo. Hoje entendo que há pessoas que passam e se vão, mesmo que a gente queira que fiquem. Há certos amores que não foram feitos para serem eternos. Nem para serem vividos. Foram feitos para ficarem guardados no coração e ponto.

(Rayana Krambeck)

Loucos.


terça-feira, 3 de junho de 2014

Estranho.



Eu costumava pensar que eu era a pessoa mais estranha do mundo, mas então eu pensei: Bem, há muitas pessoas no mundo. 
Deve haver alguém como eu, que se sente estranho e danificado da mesma forma que eu me sinto. 
Então, eu me imagino como essa pessoa e imagino que ela deve estar lá fora pensando como eu. 
Espero que, se você estiver lá fora e ler isso, que saiba que sim, é verdade, eu estou aqui. 
Eu sou tão estranho quanto você.


(Frida Kahlo)