segunda-feira, 31 de outubro de 2011

desejos para novembro.


Que novembro 
me traga todos os sorrisos que outubro me roubou, 
venha com bons ventos
que me traga sorte e amor
que não me deixe sofrer, por favor. 
Só por um mês, 
faça tudo dar certo 
depois veremos o que vamos fazer em dezembro!

Me ajuda não quebrar essa magia.



E num piscar de olhos percebo que é você quem está fazendo minha alegria ultimamente, mesmo não fazendo muito... Apenas com seu jeitinho leve de chegar, suas mensagens inesperadas, alguns sorrisos matinais.  E por mais cedo que ainda esteja, sinto que você não está por acaso no meu caminho e nem eu no seu. Me ajuda não quebrar essa magia? 

(Rayana Krambeck)

alguém que me transborde.


Não procure alguém que te complete. Complete a si mesmo e procure alguém que te transborde. 

(Clarice Lispector)

abandone os antes e venha.


(...) Não negue, apareça. Seja forte. Porque é preciso coragem para me arriscar num futuro incerto. Não posso esperar. Tenho tudo pronto dentro de mim e uma alma que só sabe viver presentes. Sem esperas, sem amarras, sem receios, sem cobertas, sem sentido, sem passados. É preciso que você venha nesse exato momento. Abandone os antes. Chame do que quiser. Mas venha.

e a gente levanta e vai.



‎... E a gente levanta e vai. 
Porque parece que chega uma hora
 em que não se trata mais de
 ainda existir alguma esperança.
Mas sim de não se deixar desistir.



chegou a hora.



Existem aqueles dias radiantes que a gente acha que sente que chegou a hora. Só que na maioria deles, a realidade tem preguiça de superar os sonhos mágicos desse meu coração, esse que também serve de depósito para restos de amores que me acertam de raspão. Olha, não sei qual dói mais. Quando acaba, quando sentimos que acabou, ou quando a gente precisa cair na real que acabou e já faz tempo.



quase novembro.



Quase novembro,
a ventania de primavera
 levando para longe os últimos
maus espíritos do inverno.

sexta-feira, 28 de outubro de 2011

quinta-feira, 27 de outubro de 2011

e então serás eterno.


Tu tens um medo: Acabar. Não vês que acabas todo dia. Que morres no amor. Na tristeza. Na dúvida. No desejo. Que te renovas todo dia. No amor. Na tristeza. Na dúvida. No desejo. Que és sempre outro. Que és sempre o mesmo. Que morrerás por idades imensas. Até não teres medo de morrer. E então serás eterno.

amor de primavera.



Eu quero um amor de primavera
Procuro letreiro de néon
Pretendo zoar a noite inteira
Preciso encontrar um homem bom!

desisti.



Desisti de sustentar uma imagem e procurar o amor da minha vida no caminho. Quem quiser olhar pra mim vai ter que se conformar com minhas Havaianas roxas e meu cabelo despenteado, minha desatenção e minha falta de correspondência. Ando abatida e pensando demais.


minhas verdades.


Pra falar bem a verdade, eu cansei de viver uma coisa que eu não sou. Mas que me esforço pra ser.

Uma menina forte e durona. Não sou isso... não mesmo! O problema é que chega uma hora que a gente cansa de entender os outros quando nós mesmos não nos entendemos.
Cansa de ser otimista apenas com os outros.
Cansa de compreender o sofrimento do amor perdido do outro, quando nós estamos perdidos e feridos.
Cansei de fazer curativos e quero alguém que me cure.
Quero alguém que me abrace e me diga com lábios, olhos e coração que está comigo porque gosta de mim de verdade e não porque está desiludido, (quando na verdade eu  também estou) e encoste  na minha vida de vez.
Só tento disfarçar, ser forte... por orgulho ou medo de mostrar que tenho falhas e nunca tive nas mãos um amor de verdade e me aproveito deles para ver se é ele o presente de Deus. 

(Rayana Krambeck)

meu comercial de supermercado.


Viver é foda, mas é bom pra cacete. Esse é meu slogan. Essa é minha vida. Isso que me faz feliz. Esse é meu clube. Esse é meu comercial de supermercado.

tudo há de se ajeitar.



Na cabeça novos sonhos e no coração uma esperança: tudo há de se ajeitar.

Mas que seja bom o que vier.


Estou te querendo muito bem neste minuto. Tinha vontade que você estivesse aqui e eu pudesse te mostrar muitas coisas, grandes, pequenas, e sem nenhuma importância, algumas. Fique feliz, fique bem feliz, fique bem claro, queira ser feliz. Você é muito lindo e eu tento te enviar a minha melhor vibração de axé. Mesmo que a gente se perca, não importa. Que tenha se transformado em passado antes de virar futuro. Mas que seja bom o que vier, para você, para mim..

primavera.



   Deixe a vida fazer com você

 o que a primavera faz com as flores.

o que eu ganho e o que eu perco.


pessoas mudam.


Pessoas mudam . Sentimentos mudam. Isso não significa que o amor uma vez partilhado, não foi verdadeiro e real. Simplesmente significa que às vezes quando as pessoas crescem, elas crescem separadas.

quarta-feira, 26 de outubro de 2011

o que gostaria de ser quando crescer?


a saudade.



Saudade é uma antecipação do abandono. Uma despedida provisória que dói igual a um desenlace definitivo. É um aceno que não entrega a mão ao arum cumprimento que não fecha os dedos.

tem coisa que não volta.



Tem coisa que não volta, por mais que a gente queira. Você pode até tentar voltar o disco, repetir a música, insistir na letra, cantar o mesmo refrão por mil e um minutos, fechar os olhos. Tem sentimento que não volta. Mesmo que você se esforce, recorde, tente voltar a página, refrescar o coração. Alguns sentimentos são bem pontuais: chegam, esperam pra ver se devem ficar e decidem partir ou continuar.

 

faço o que me cabe.



Na fé, eu sou capaz de me dizer, com amorosa humildade, que grande parte das vezes eu não sei o que é melhor pra mim. Eu não sei, mas Deus sabe. Eu não sei, mas minha alma sabe. Então, faço o que me cabe e entrego mesmo quando, por força do hábito, eu ainda dê uma piscadinha pra Deus e lhe diga: 
Tomara que as nossas vontades coincidam”. Faço o que me cabe e confio que aquilo que acontecer, seja lá o que for, com certeza será o melhor, mesmo que algumas vezes, de cara, eu não consiga entender.

terça-feira, 25 de outubro de 2011

Ou alguém duvida que o universo traz aquilo que desejamos?



ELE anda cansado das baladas e dos casos furtivos sem sentimentos. Aprendeu a gostar da própria companhia, sem precisar estar em uma turma de amigos todos os sábados. Decidiu que quer um amor verdadeiro… Que pode nem ser eterno, mas que traga um sabor doce às suas manhãs, que seja a melhor companhia para olhar a lua. Que ele possa exibir os seus dons na cozinha e o seu conhecimento em vinhos, só para ela.Quer uma mulher que ele reconheça pelo cheiro dos cabelos, pelo toque dos dedos, pela gargalhada que vai ecoar pela casa transformando um domingo sem graça, no melhor dia da semana. Quer viver uma paixão tranquila e turbulenta de desejos… Quer ter para quem voltar depois de estar com os amigos, sem precisar ficar “caçando” companhias vazias e encontros efêmeros. Quer deitar no tapete da sala e ficar observando enquanto ela, de short jeans, camiseta e um rabo de cavalo, lê um livro no sofá, quer deitar na cama desejando que ela saia do banho com uma lingerie de tirar o fôlego.Quer brincar de guerra de travesseiros, até que o perdedor vá até a cozinha pegar água. Quer o poder que nenhum dos seus super heróis da infância tiveram: o poder de amar sem medo, sem perigo e sem ir embora no dia seguinte.
Quer provar que pode fazer essa mulher feliz!

ELA quase deixou de acreditar que seria possível ter vontade de se envolver novamente. Foram tantas dores, finais, recomeços e frustrações que pensou em seguir sozinha para não mais se machucar. Então percebeu que a vida de solteira já não está fazendo tanto sentido. Decidiu que quer um amor verdadeiro… Que pode nem ser eterno, mas que possa acordá-la com umabraço que fará o seu dia feliz, quer um homem que ela possa cuidar e amar sem receios de que está sendo enganada. Quer a alegria dos finais de semana juntinhos, as expectativas dos planos construídos, o grito de “gol” estremecendo a casa quando o time dele estiver ganhando… a cumplicidade em dividir os segredos.Quer observá-lo sem camisa, lendo o jornal na varanda… quer reclamar da bagunça no banheiro, rindo e gritando quando ele revidar puxando-a para o chuveiro, completamente vestida.Quer a certeza de abrir a porta de casa e saber que mesmo ele não estando, chegará a qualquer momento trazendo o brigadeiro da doceria que ela gosta tanto. Quer beijar, cheirar, morder, beliscar e apertar para ter certeza que a felicidade está ali mesmo… materializada nele.
Quer provar que pode fazer esse homem feliz!

ELES estão por aí… Sonhando um com o outro… Talvez ainda nem se conheçam, mas é só uma questão de tempo até o destino unir essas vidas que se complementam e estão ávidas para amar e fazer o outro feliz.

Ou alguém duvida que o universo traz aquilo que desejamos?

sou tão eu.



Você não sabe menina, nem me conhece. Sou tão eu que não ligo pra nenhuma ameaça, mesmo as mais ocultas. 

(Rayana Krambeck)

outro alguém.



Se alguém vai embora, é porque outro alguém tá pra chegar .

quem não procura...



‎- Quem não procura, não sente falta, moço.
- Engano seu, pequena. A nostalgia tortura e todo dia o coração implora pedindo pra voltar.
- Porque não volta, então?
- A saudade é grande, mas o orgulho é ainda maior, menina.

não é esperteza.



Eu sou esperta porque pego quem eu quero, a hora que eu quero e como eu quero. Eu sou carente porque tudo isso é idiota, vazio e solitário.

o bom da vida.



E o bom da vida é o que? É sentir. Des-pe-da-çar. Refazer. Quando tudo se rasga, quem costura sou eu. Dou conta. Se amanhã eu acordar e resolver amar pra caralho, eu amo. Ele, você, outro. Ponto. Que venha a mim todo o amor que houver nessa vida, o tempo inteiro. Meu coração vagabundo quer guardar o mundo em mim.

como se mudar fosse fácil.



Como se pudesse mudar quem foi, quem era e como nasceu ela resolveu se transformar. E mudou. Mudou os cabelos que perderam os cachos e ganharam alguns muitos centímetros. Mudou o jeito de se vestir, que passou de menina a mulher. O jeito de falar, o jeito de andar e até o jeito de olhar. Quem a visse hoje – e que não a conheceu antes – jamais saberia o que nem quem ela fora. Como se pudesse esquecer os anos passados, as experiências vividas, os medos superados, ela resolveu mudar. E mudou. Mudou as amizades – esqueceu aquelas velhas e se dedicou a um novo círculo de relacionamentos que combinava mais com o seu momento. E mudou seus interesses. As pessoas pouco importavam, ela estava num mundo onde podia ter todas as experiências que quisesse, as pessoas que quisesse, o divertimento que quisesse, tudo que quisesse. Pra que pensar nos outros? Era só ela.
Mudou os hábitos. Já não via mais programas de televisão, não acompanhava novelas e trocou os filmes por livros. Como se pudesse apagar os costumes e simplesmente esquecê-los, ela deixou de frequentar os velhos lugares. Os restaurantes, a pizzaria, a sorveteria. Passou a freqüentar bares. E beber. Já não ouvia mais as mesmas músicas, já não tinha mais ídolos. Só ouvia – gostava ou desgostava das canções.
As preferências, as referências, os amigos, o gosto, o cabelo, o perfume. Como se mudar fosse fácil – ou como se fosse possível – ela mudou.

(E como se pudesse fazer transplante de sentimentos e mudar tudo que sentia, ela resolveu que o esqueceria. E transplantou o coração, o pensamento e o gostar. Não o esqueceu. Mas passou a não lembrar.)

sair de ti.



Se não sais de ti
não chegas a saber quem és.



afinidade.



Gosto de me encaixar na anatomia de abraços sinceros,
daqueles que posso medir a temperatura dos corações
com esse tal termômetro que as pessoas chamam de afinidade.


não entendemos nada, mas continuamos insistindo.



Mas aí, daqui uns dias.... você vai me ligar. Querendo tomar aquele café de sempre, querendo me esconder como semprequerendo me amar só enquanto você pode vulgarizar esse amor. Me querendo no escuro. E eu vou topar. Não porque seja uma idiota, não me dê valor ou não tenha nada melhor pra fazer. Apenas porque você me lembra o mistério da vida. Simplesmente porque é assim que a gente faz com a nossa própria existência: não entendemos nada, mas continuamos insistindo.


segunda-feira, 24 de outubro de 2011

medo.



Eu tenho medo de acreditar em você, de te desejar tanto tanto e acabar descobrindo que eu ainda tenho um coração (...)

sigo assim.



Então sigo assim, penso em você, sorrio e rezo, peço pra Deus cuidar da gente.

preciso tanto.


Preciso sim, preciso tanto. Alguém que aceite tanto meus sonos demorados quanto minhas insônias insuportáveis. Tanto meu ciclo ascético Francisco de Assis quanto meu ciclo etílico bukovskiano. Que me desperte com um beijo, abra a janela para o sol ou a penumbra. Tanto faz, e sem dizer nada me diga o tempo inteiro alguma coisa como eu sou o outro ser conjunto ao teu, mas não sou tu, e quero adoçar tua vida. Preciso do teu beijo de mel na minha boca de areia seca, preciso da tua mão de seda no couro da minha mão crispada de solidão. Preciso dessa emoção que os antigos chamavam de amor, quando sexo não era morte e as pessoas não tinham medo disso que fazia a gente dissolver o próprio ego no ego do outro e misturar coxas e espíritos no fundo do outro-você, outro-espelho, outro-igual-sedento-de-não-solidão, bicho-carente, tigre e lótus. Preciso de você que eu tanto amo e nunca encontrei. Para continuar vivendo, preciso da parte de mim que não está em mim, mas guardada em você que eu não conheço.

o que eu queria dizer.


Eu não vou te pedir nada. Não vou te cobrar aquilo que você não pode me dar. Mas uma coisa, eu exijo. Quando estiver comigo, seja todo você. Corpo e alma. Às vezes, mais alma. Às vezes, mais corpo. Mas, por favor, não me apareça pela metade. Não me venha com falsas promessas. Eu não me iludo com presentes caros. Não, eu não estou à venda. Eu não quero saber onde você mora. Desde que você saiba o caminho da minha casa. Eu não quero saber quanto você ganha. Quero saber se ganha o dia quando está comigo.Você não vai me ver mentir. Desista. Mentiria sobre a cor do meu cabelo. Sobre minha altura. Até sobre meus planos para o futuro. Mas não vou mentir sobre o que eu sinto. Nem sob tortura. Posso mentir sobre minha noite anterior. Sobre minha viagem inesquecível. Mas não aguentaria mentir sobre você por um segundo. Não na sua cara. Mentiria pras minhas amigas sobre a sua beleza. Diria que tem corpo de atleta e um quê de Don Juan (mesmo sabendo que elas iriam descobrir a farsa depois). Mas não me faça mentir e dizer que não te quero. Que eu não estou na sua. Não me obrigue a jogar. Não me obrigue a dizer “não” quando eu quiser dizer “sim”. Não me faça tirar você da minha vida porque meu coração ainda acelera quando você me liga. Insisto. Não perca seu tempo comigo. Porque eu não quero entrar no seu carro se não puder entrar na sua vida. Não me conte seu passado se eu não puder viver seu presente. Não faça planos comigo se não me incluir no seu futuro. Não me apresente seus amigos se, amanhã, vou virar só mais uma. Poupe-me do  trabalho de adivinhar seus pensamentos. Diga que me quer apenas quando for verdade. Diga que está com saudade apenas se sentir minha falta do seu lado. Peça minha companhia quando não desejar só meu corpo. Ligue-me quando tiver algo pra dizer. Mas, por favor, me desligue quando não estiver mais afim de mim.

ele queria outra coisa.



- Não quero lembrar. Faz mal lembrar das coisas que se foram e não voltam. No começo fiquei com raiva, achei que ele não pensou em mais ninguém quando desapareceu. Só nele mesmo. Mas a gente nunca pode julgar o que acontece dentro dos outros. Ele queria outra coisa.
- Que coisa?

- Nem ele sabia. Repetia isso o dia inteiro: "Quero outra coisa, eu quero encontrar outra coisa". 

domingo, 23 de outubro de 2011

talvez.



Talvez nós ainda não saibamos, mas eu vou amar você. Talvez eu não perceba, mais eu vou adorar a sua companhia. Talvez você não tenha sentido, mas eu vou gostar de sentir você. Talvez eu nunca fale, talvez eu fale, ou então, talvez eu ache que é só amizade. Mas, entre as indas e vindas, saiba que talvez eu seja tua.


nem certo nem errado.



(...) ela está sempre tão dentro dela mesma que qualquer coisa que faça não é nem certa nem errada, é simplesmente o que ela podia fazer.

ela-eu.


Ela tem muita dúvida como todos têm. Mas nem todos sabem a beleza de saber lidar com a tristeza. Ela sabe. Ela ouve a música que seu coração pede e modela seu ritmo ao seu estado de espírito. Ela dança a coreografia de seus sentimentos, e todos podem ver. (…) Ela é mais que um sorriso tímido de canto de boca, dos que você sabe que ela soube o que você quis dizer. Ela fala com o coração e sabe que o amor, não é qualquer um que consegue ter. Ela é a sensibilidade de alguém que não entende o que veio fazer nessa vida, mas vive.

o que quero.


mudança.




Um belo dia você acorda decidida esquecer das noticias e ausências que te feriram tanto. Levanta e vai levando a vida lembrando, querendo esquecer. Vai à padaria ou até ao ponto de ônibus querendo sentir o cheiro de encanto. Mas só sente o cheiro da lembrança. É que quando dói demais a gente não acredita que um dia a dor passa, mesmo que todo mundo fale. Mas passa. De verdade. É que a vida tem mesmo dessas voltas e acreditar nas pessoas e nas suas boas intenções ainda vale a pena. Porque simplesmente ainda existem pessoas que acreditam como você.

Dai você olha pra sua vida e aceita a mistura de mulher cheia de pé no chão, brava e meio esquisita com uma menina cheia de sonhos e brigadeiros. Um jeito meio Amelie que pode mudar tudo, até os sonhos.

Alguns sorrisos no meio do caminho te confundem ainda com a decisão da mudança. E trazem o que tanto você queria esquecer. Mas lembra também dos sorrisos daqueles que se reergueram por problemas resolvidos maiores que o seu. E sorri de volta, como quem agradece o pensamento mandado por algum anjo bom. E lembra-se dos erros, mas não esquece que não errou sozinha. E você não tem que mudar de casa, nem de rua, nem rosto, você tem que mudar seu pensamento. Ser gentil com seus erros, ajuda a corrigi-los. Te corrigir pro melhor que a vida está te preparando.

E a vida sempre estende a mão pra quem ciranda com ela. E então, sua história muda, orgulhos e tristezas são sentimentos feitos pra deixar de lado. Afinal e ainda bem, sentimento também muda!

A gente lê Caio Fernando, Tati Bernardi e Clarice e se reconhece acreditando que são eles que têm a cura pra dor. Podem até ajudar, menina. Mas nesse poço que você adora pular de vez em quando, só cabe você. Melhor ser esperta e ajudar outras pessoas a gostar de você. Nem Caio, nem Tati e Clarice vão te ajudar. O problema é teu. Resolva. E toma conta do teu coração pra não se esfolar de novo.

Dores vão e vem, mas enquanto tiver um sorriso no meio do caminho, um ombro pra encostar, uma piscada pra esquecer, um céu azul, uma janela aberta e um amanhecer de primavera você vai querer se reerguer e ver que quem perdeu não foi você

Aprende menina, alguns sorrisos recebidos na vida não foram feitos pra lembrar. Foram pra guardar. No coração.



se não morar no meu coração.



Eu não ligava para muitas coisas. Eu nunca ligo. Ou eu amo ou eu desconheço. Você pode fazer uma festa na minha frente, mas se não morar no meu coração, eu não vou enxergar.

pedido.


Me vê uma rodada de vida boa, com uma porção extra de amor, uma boa dose de amizades verdadeiras e boas músicas para acompanhar! E se tiver dinheiro aí, pode incluir no pedido.

estou te esperando.



Ah, e eu estou te esperando, com meu vestido curto, óculos escuros grandes e meu coração pulsando forte, e te abraçar até sentir o mundo girar apenas para nós. é, eu gosto muito de ti.

sábado, 22 de outubro de 2011

eu sei que vou.



Menina-moça, tentaram me fazer acreditar que o amor não existe e que sonhos estão fora de moda. Cavaram um buraco bem fundo e tentaram enterrar todos os meus desejos, um a um, como fizeram com os deles. Mas como menina-teimosa que sou, ainda insisto em desentortar os caminhos. Em construir castelos sem pensar nos ventos. Em buscar verdades enquanto elas tentam fugir de mim. A manter meu buquê de sorrisos no rosto, sem perder a vontade de antes. Porque aprendi com a Dona Chica, que a vida, apesar de bruta, é meio mágica. Dá sempre pra tirar um coelho da cartola. E lá vou eu, nas minhas tentativas, às vezes meio cegas, às vezes meio burras, tentar acertar os passos. Sem me preocupar se a próxima etapa será o tombo ou o voo. Eu sei que vou. Insisto na caminhada. O que não dá é pra ficar parado. Se amanhã o que eu sonhei não for bem aquilo, eu tiro um arco-íris da cartola. E refaço. Colo. Pinto e bordo.

a força de dentro.



Porque a força de dentro é maior. Maior que todo o mal que existe no mundo. Maior que todos os ventos contrários. É maior porque é do bem. E nisso, sim, acredito até o fim. O destino da felicidade, me foi traçado no berço. Disse um certo pai Ogum.

das habilidades do mundo.


sexta-feira, 21 de outubro de 2011

detalhes de mim.



"Sou tão misteriosa que não me entendo": Esta frase me auto-define de corpo e alma. Não consigo compreender a pequenez e a imensidão do meu ser. 
Tenho pavor da pergunta: "me fale sobre você...". Acordo uma e durmo outra. Os dias, os fatos, as certezas e as dúvidas, as pessoas me transformam... Sou inconstante, indecisa (mas no fim, acabo seguindo meu coração), espontânea, sincera até demais, intensa, otimista, leonina...
Tenho loucura, paixão pelo mistério, pelo novo, por tudo que nos liga de alguma forma, ao universo.
Amo ouvir os outros falarem de mim, tudo é crescimento e aprendizado.
Meu humor... uma verdadeira montanha-russa. Se transforma conforme o tempo, as pessoas, o ambiente e o meu coração. 
Tenho pavor de dias nublados, chuvosos... Amo o deus sol e a irmã lua... as estrelas me fascinam!
A verdade é que sou mesmo inconstante, impaciente... tenho uma sede de infinito guardada em mim que não sacia, uma pressa, uma urgência que não sei de onde veio, nem pra onde vai. E ao mesmo tempo, uma calmaria que me assusta, mas que me traz paz...
Sou muito teimosa quando quero, mas aprendi aos trancos, que "o que tem de ser, tem muita força". E vou buscando o equilíbrio, mesmo sabendo que às vezes, a vida é traiçoeira demais para se deixar fluir...
Amo a rotina só para sentir o prazer e a beleza de deixá-la um pouco só. Tenho uma atração enorme pelo diferente e só busco o que me faz bem.
Rio incontrolavelmente, e choro desesperadamente. Risos me fazem criança, choros me fazem crescer.
Sou uma alma apaixonada pela vida, apesar de saber que ela esconde mistérios indesvendáveis. 
Sei que atraímos o que transmitimos, e que quando queremos muito algo, o universo inteiro conspira a favor.  
Sinto-me profundamente ligada à um Ser Maior, ao Criador de todas as coisas... e posso encontrá-Lo em pessoas que se encontram na mesma sintonia que a minha, nas coincidências do dia-a-dia, nas vibrações positivas, nas pessoas de bem, nos amigos verdadeiros, nas crianças, na família, na mãe natureza, no universo... É Ele e todo esse mistério que O envolve, que me faz ter mais "força e fé".
Discordo totalmente da teoria: "os opostos se atraem". Semelhante atrai semelhante. Ninguém muda (por) ninguém. Me sinto bem ao lado de pessoas que "curtem" as mesmas coisas que eu, que estão na mesma sintonia... Percebo de cara, quando o "santo não bate".
Sou toda energia, luz, sonhos... Não me canso de sonhar, e também espero que eles não se cansem de mim.
Amo ler, viajar nas palavras e entrelinhas de um livro... Acredito que mais vale um bom livro, que uma má companhia. Sou apaixonada com violão, jeep, trilhas, montanhas, cachoeiras, com o infinito do mar, gosto de aventuras e do diferente.
Sou observadora nata e às vezes, amo também o meu silêncio. É através dele que me aventuro pelos mais inalcansáveis túneis do meu ser e da vida, e vou me renovando e me esculpindo a "ouro e sedas".
Pronto, já sou outra! mas a essência... essa é a maior certeza da plenitude da alma.

(Rayana Krambeck)