terça-feira, 31 de janeiro de 2012

I Won't Give Up - Jason Mraz



Tradução:
 Quando olho em seus olhos
É como observar o céu de noite
Ou um belo amanhecer
Eles carregam tanta coisa
E como as estrelas antigas
Vejo que você evoluiu muito
Para estar bem aonde está
Qual a idade da sua alma?
Não desistirei de nós
Ainda que os céus fiquem violentos
Estou lhe dando todo meu amor
Ainda olho para cima

E quando precisar de seu espaço
Para navegar um pouco
Esperarei pacientemente
Para ver o que você descobrirá (...) 


Mulher de verdade assusta.



Homem tem medo de mulher independente! Pior ainda: Homem tem medo de mulher que BOMBA! Aí que o cara conhece uma gata, linda e com estilo nada convencional de se vestir, bebe tanto quanto ele. Se ele não quiser sair, ela sai só com as amigas, topa qualquer saída… Não tem tempo ruim, banca suas coisas. Se tiver meio sem grana, se diverte como dá. Se tiver bem de dinheiro, pode até pagar pras amigas. Conversa com todo mundo, conhece muita gente. Falando assim, parece bem divertido ficar com uma mulher dessa… E é! O PROBLEMA É QUE GRANDE PARTE DOS HOMENS NÃO SEGURA A ONDA DE UMA MULHER PAU-A-PAU COM ELES, aí eles namoram a Sandy, a Sandy é fácil de namorar. Ela sai, mas não dança até o chão, ela não bebe. Nada de decotes ou mini saias. Se o namorado não quiser, ela não sai. Ficam em casa, assistindo comédias românticas… Mas quer saber? Mulher que bomba dispensa homem sem coragem! Mulher de verdade assusta! Uma grande mulher não precisa de homem para se destacar, mas para ser um grande homem com certeza precisa-se de uma GRANDE MULHER…

(Tati Bernardi)

quando você quiser saber alguma coisa.



Estava na praia com seu pai, e ele pediu para ver se a temperatura da água estava boa.
Ela estava com cinco anos, e ficou contente de poder ajudar; foi até a beira da água e molhou os seus pés.
"Coloquei os pés, está fria", disse para ele.
O pai pegou-a no colo, caminhou com ela até a beira do mar, e sem qualquer aviso, atirou-a dentro da água.
Ela levou um susto, mas depois ficou contente com a brincadeira.
"Como está a água?" perguntou o pai.
"Está gostosa", respondeu.
"Então, daqui pra frente, quando você quiser saber alguma coisa, mergulhe nela".

(Brida - Paulo Coelho)

Te quero.



Te quero. Te quero molhado, com o cabelo despenteado, com cara de sono, com sorriso malicioso, com olhar sincero. Te quero sorrindo, bravo, nervoso, emburrado, feliz, chateado, triste. Te quero lindo, te quero feio, te quero desarrumado, te quero perfumado. Te quero na sala, no quarto, na rua, tanto faz. Te quero aqui, te quero acolá. Te quero para transformar eu e você em nós.

(Tati Bernardi)

segunda-feira, 30 de janeiro de 2012

la historia de mi vida.



Tu seras la historia de mi vida, hoje, agora. Eu te amo pra sempre até o dia escurecer. Te quero inteiro pela metade e sou eternamente sua em nossas curtas horas.

(Verônica H.)

você não sabe, menino.




Você não sabe, Menino, mas eu machuco as pessoas. Eu faço com que elas se apaixonem por mim como um desafio, como uma criança testando seus limites. Então enjoo do meu jogo e não dou explicações. Destruo corações que se abrem pra mim com tanto esforço, na esperança de terem encontrado alguém legal.

(Verônica H.)

Vou entrar em férias de mim.



E hoje não vou fazer isso. Não vou ceder, não vou me preocupar. Vou entrar em férias de mim, balancear os pneus, checar o óleo. Vou me amar. Pra depois tentar, quem sabe, amar alguém.

(Verônica H.)

domingo, 29 de janeiro de 2012

você em todos os outros.



Esse medo de cair é recente. Veio acompanhado da alegria momentânea que você causou, mas ficou mesmo foi por causa da distância.
É difícil não tropeçar quando todos os rostos na rua são o seu. É difícil quando sua voz me chama de todos os lados. É difícil te esquecer querendo você em todos os outros.

(Verônica H.)

as voltas que eu dou sozinha.



Ei, não tenta entender as voltas que eu dou sozinha. Deixa só um mistério estranho de filme trash. Ninguém quer descobrir o que há por trás da mulher diferente, mas ela ainda é a mulher diferente que deve ser descoberta.
Passo horas falando pra ficar muda de repente, passo toda a segurança do mundo pra me derrubar em medos bobos. É que tudo fica mais legal em constante mudança. E eu nem sei mais ser a mesma sempre.
(Verônica H.)

que seja.


Também não sei o que me prende tanto a você. Deve ser justamente essa impossibilidade de sermos, finalmente, nós

(Caio F. Abreu)



Que seja presença e companhia, o relacionamento bom
: pois a solidão é um campo demasiado vasto para ser atravessado a sós."
(Lya Luft)

sou cigana, sou estrangeira.



Minha distância, que você percebe e julga ser frieza, é apenas um mecanismo de defesa contra o que virá depois. Já me acostumei à desilusão e sua argumentação em favor do mundo não vai ajudar. Estou desiludida de mim, dos meus impulsos, das minhas incapacidades, da minha falta de sentidos, não das outras pessoas. As outras pessoas cumprem direitinho com seu papel, se esforçando pra quebrar meu gelo, algumas gostando sinceramente de mim, apesar da falta de resposta. Sou cigana, sou estrangeira, sou de partida, nunca de chegada. Sou de começo e fim, não de durante.


(Verônica H.)

sábado, 28 de janeiro de 2012

alguns pensamentos são preces.




"Alguns pensamentos são preces.
Há momentos em que, qualquer que seja a
posição do corpo a alma está de joelhos."

(Victor Hugo)

de dentro para fora.



Quem tenta ajudar uma borboleta a sair do casulo a mata.   
Quem tenta ajudar um broto a sair da semente o destrói.  
Há certas coisas que não podem ser ajudadas.  
Tem que acontecer de dentro para fora.

(Rubem Alves)

meu rumo.


"Confesso não saber quantas vezes terei que me reinventar, nem quantos longos caminhos ainda preciso percorrer, nem qual toque, nem qual a maneira certa e nem quais serão as palavras mais coerentes para usar. Realmente não sei. Porém, tudo isso perde a importância, quando a certeza que carrego na mochila, é saber que meu rumo, sem desvios, sempre será o seu coração."
(Erick Tozzo)

eu vim para ser feliz.


"E quem disse que eu quero sair ilesa? Eu vim ao mundo para experimentar todos os sabores e sentir na pele todas as essências que a vida me permitir. Eu vim pra sorrir, pra abraçar e me encontrar no meio disso tudo. Eu vim para ser feliz, meu Deus do céu. "

(Bibiana Benites)

ta faltando homem.


Tá faltando homem que assuma seus afetos, homem que se apaixone. E que se dane o que os outros pensem ou que a sociedade aplauda ou condene. Tá faltando homem, que aguente as consequências de seus desejos e que defenda as razões de seu coração. Tá faltando homem.

(Pedro Bial)

sexta-feira, 27 de janeiro de 2012

Tenho raízes mas flutuo.



"Sinto mil possibilidades nascerem dentro de mim. Sou sucessivamente travessa, alegre, lânguida e melancólica. Tenho raízes mas flutuo. (...) Nasci para ser estilhaçada. Nasci para que se riam de mim. Estou destinada a andar à deriva, entre os homens e mulheres de faces contraídas e línguas mentirosas, como um pedaço de cortiça num mar revolto."

(Virginia Woolf)

quinta-feira, 26 de janeiro de 2012

que o tempo nos permita.



Falta tanta coisa para sentir o que um dia sentimos. Falta coragem de assumir, coragem de esquecer, coragem de fazer diferente mesmo quando o que se sente continua igual. E hoje, ao pensar no que escrever eu só consigo me lembrar de uma frase: “Te amo tanto, tanto, tanto que te deixo em paz.” (…) Não vou cobrar nada porque já fomos longe demais. E no fundo eu só quero que você aguarde um pouco mai...s. (…) Que o tempo nos permita alguns reencontros sem culpas porque é bom sentir sempre mais uma vez. Porque mesmo a gente voltando para outros abraços só o nosso valerá a pena. (…) Eu tenho vontade de segurar seu rosto e ordenar que você seja esperto e jamais me perca e seja feliz. E você me olha com essa carinha banal de “me espera só mais um pouquinho”, querendo me congelar enquanto confere pela centésima vez se não tem mesmo nenhuma mulher melhor do que eu. E sempre volta. Porque, quando você está com medo da vida, é na minha mania de rir de tudo que você encontra forças. E, quando você está rindo de tudo, é na minha neurose que encontra um pouco de chão. E, quando precisa se sentir especial e amado, é pra mim que você liga. (...)E, quando pensa em alguém em algum momento de solidão, seja para chorar ou para ter algum pensamento mais safado, é em mim que você pensa. Eu sei de tudo. E eu passei os últimos anos escrevendo sobre como você era especial e como eu te amava e isso e aquilo. Mas chega disso.


(Tati Bernardi)

desvairada.



Diz-me, porque não nasci igual aos outros, 
sem dúvidas,
sem desejos de impossível? 
E é isso que me traz sempre desvairada, 
incompatível com a vida que toda a gente vive.

 (Florbela Espanca)

sobre Deus.



"Deus tem sido muito bom comigo.
Vezenquando, ele me sorri, 
brinca de acender céu e me fazer ouvir estrelas."

(Cris Carvalho)

Louca e completamente feliz.



A menina, com seu vestido estampado sentia tudo girar. Ela girava até ficar tonta. Porque ela gostava daquela tontura pra viver. Era como centenas de borboletas farfalhando dentro dela. E no bater das asas, levassem embora as memórias, as derrotas, os cansaços. Depois, a menina saía mais leve. Como se pisando estivesse num tapete florido. Um pouco mais de vento, ela saia voando. Gostoso não sei se era. Mas bonito parecia. Ver a menina daquele jeito, cabelos soltos, pés descalços, sorriso no rosto, uma estrela na testa. Como num quadro pintando a guache. Girando e vendo tudo girar. Ela e Deus. Sozinha no planeta Terra. Louca e completamente feliz.

(Cris Carvalho)

quarta-feira, 25 de janeiro de 2012

que seja doce agora.



Depois de pedir muito para Deus ‘alguém’, agora eu peço ao contrário. 
Porque não vale à pena, não compensa.
Porque tem pessoas que não valem à pena. 
E insisto, dai-me forças Senhor, dai-me fé. Que seja doce agora, que seja.

(Caio Fernando Abreu)

amor de índio.



Tudo o que move é sagrado
E remove as montanhas
Com todo o cuidado, meu amor.
Enquanto a chama arder,
Todo dia te ver passar,
Tudo viver ao teu lado
Com o arco da promessa
Do azul pintado pra durar.
Abelha fazendo mel
Vale o tempo que não voou
A estrela caiu do céu
O pedido que se pensou
O destino que se cumpriu
De sentir seu calor e ser todo.
Todo dia é de viver
Para ser o que for e ser tudo.
Sim, todo amor é sagrado
É o fruto do trabalho
É mais que sagrado, meu amor.
A massa que faz o pão
Vale a luz do teu suor
Lembra que o sono é sagrado
E se alimenta de horizontes
O tempo acordado de viver.

No inverno te proteger
No verão sair pra pescar,
No outono te conhecer,
Primavera poder gostar.
No estio me derreter
Pra na chuva dançar e andar junto
O destino que se cumpriu
De sentir teu calor e ser tudo.
Abelha fazendo o mel
Vale o tempo que não voou
A estrela caiu do céu
O pedido que se pensou
No destino que se cumpriu
De sentir teu calor e ser todo
Todo dia é de viver
Para ser o que for e ser tudo
Para ser o que for...
Pra viver...

sobre os anjos.



"Os anjos sentam bem no ombro esquerdo das pessoas pra indicar a direção. E sopram gracejos ao ouvido que é pra gente nunca desaprender o riso."

 (Cris Carvalho)

meu maior medo.



Meu maior medo é sentir solidão mesmo bem acompanhado.

(Gabito Nunes)

amanhecendo por dentro.



"Eu não estou triste.
Só estou fazendo silêncios.
Só estou me recolhendo.
Só estou amanhecendo, por dentro."

(Priscila Rôde)

tua-nossa solidão.



"A tua solidão é tão vasta quanto a minha. Confessa. Tuas noites são povoadas por saudades. E memórias. Tu também olhas pela janela nas altas madrugadas desejando um amor. Em segredo. Tu também te perdes, caminhos errados, pessoas estranhas – o santo não bate, lembra? 
Ninguém desconfia das tuas angústias. Nem mesmo eu. E então, com meia dúzia de palavras bonitas, mas difíceis, tu te desnudas. Sem querer? 
Não te imagino intencional. És um aviãozinho de papel a vagar pelos ventos sem rumo. Engana-te se achas que é possível ser terrivelmente feliz nestes esconderijos. Abre-te para os encantos. É lá que moram os olhares encontrados, a pele arrepiada,o pé que encosta no outro sem aviso. As mãos dadas. Tu me encantas. Longe, perto, sem saber..."

(Paula Pfeifer)

terça-feira, 24 de janeiro de 2012

Esse mundo tá pelo avesso.



Parece mas não é. É mas não parece. Ama mas não mostra. Mostra mas não ama. Esse mundo tá pelo avesso.

(Caio Augusto Leite)

relação com a senhora dona vida.



Preciso tomar ar, fingir que sou normal e tenho um profundo interesse pelas pessoas e acontecimentos culturais e todas essas estonteantes possibilidades urbanas. Voltei ao homeopata, me deu os mesmos remédios, porém em doses mais fortes. Ele me recomenda que fique “mais feliz”. Não ensina como, claro.
Minha relação com a senhora dona vida, de muitos anos para cá, tem sido frontal, direta e solitáriaEntão tenho que ser forte, tenho que me exercitar em autocontrole. Claro que me pergunto pra-quê? — e claro que não tenho resposta.
Talvez seja sina, essa de escrever, e então ter as respostas da vida real na vida recriada, nunca na própria vida real — como as pessoas que não criam costumam ter. E deve estar certo assim, deve haver uma ordem e um sentido nisso. 
Ando digamos que feliz, mas tão só e às vezes um pouco frágil.

(Caio Fernando Abreu)

sobre o coração.



Se tens um coração de ferro, bom proveito. O meu, fizeram-no de carne, e sangra todo dia.

(José Saramago)

sempre você.


Tenho sido feliz, mas sempre penso em você.
E me dá uma saudade irracional de você. Assim, do nada.
É uma coisa que me dói muito, esses seus silêncios.

(Caio Fernando Abreu)

sexta-feira, 20 de janeiro de 2012

sim.



Eu quero ter você quando estiver de volta
Eu quero você para mim
Não dou
Pra ficar só,
sim

SIM
Desde que eu te vi
eu te quis...

(Sim – Nando Reis)

é o que me interessa.



Às vezes eu pressinto e é como uma saudade
De um tempo que ainda não passou
Me traz o seu sossego
Atrasa o meu relógio
Acalma a minha pressa
Me dá sua palavra
Sussurra em meu ouvido
Só o que me interessa.

(É o que me interessa - Lenine)

quinta-feira, 19 de janeiro de 2012

Wish You Were Here.



How I wish, how I wish you were here
We're just two lost souls
Swimming in a fish bowl,
Year after year,
Running over the same old ground.
What have we found?
The same old fears
Wish you were here

(Wish You Were Here - Pink Floyd)

 

quarta-feira, 18 de janeiro de 2012

porque a gente nunca sabe de quem vai gostar.



Ana aproveitava os carinhos do mundo
Os quatro elementos de tudo
Deitada diante do mar

Que apaixonado entregava as conchas mais belas
Tesouros de barcos e velas
Que o tempo não deixou voltar
Onde já se viu o mar apaixonado por uma menina?
Quem já conseguiu dominar o amor?
Por que é que o mar não se apaixona por uma lagoa?
Porque a gente nunca sabe de quem vai gostar...

(Ana e o mar- O Teatro Mágico)

sexta-feira, 13 de janeiro de 2012

a ordem natural das coisas.



Aprendi, embora tantas vezes esqueça e as circunstâncias me convidem a relembrar, que a ordem natural das coisas é a fluência, o movimento. O fechamento de um ciclo e a inauguração de outro.

(Ana Jácomo)

E por isto mesmo eu sigo sorrindo.




"Eu sou mais forte do que eu” (assim como escreveu Clarice Lispector) e apesar do meu corpo fraquejar, minha alma não desiste da esperança, porque ela sabe que a felicidade não é algo que se busca, mas que está presente nas pequenas coisas do nosso dia-a-dia. E por isto mesmo eu sigo sorrindo, mesmo que às vezes eu chore. E eu choro. Mas estou sorrindo agora.
Sim, eu sou estranha, mas querem saber? Eu gosto muito de mim! 

(Ana Jácomo)


quinta-feira, 12 de janeiro de 2012

Eu sou a viajante e a viagem.



Mas não tenho mais tanta pressa. Comecei a aprender a ser mais gentil com o meu passo. Afinal, não há lugar algum para chegar além de mim. Eu sou a viajante e a viagem.

(Ana Jácomo)

tudo deveria ser exatidão.



Todos os amores deveriam ser possíveis.
Pessoas não deveriam chegar nem antes nem depois.
Tudo deveria ser exatidão.
Pontualidade vital para que o amor aconteça.
A Terra deveria girar com esse único propósito:O encontro das almas.
O resto seria resto.
E tudo seria pra sempre
Brilhar pra sempre.
Brilhar como um farol.
Brilhar com brilho eterno.
Gente é pra brilhar.
Esse é o meu slogan.
E do sol.

(Ana Jácomo)

a vida.



A vida, esta vida que inapelavelmente, pétala a pétala, vai desfolhando o tempo, parece, nestes meus dias, ter parado no mal-me-quer.

(José Saramago)