quarta-feira, 8 de maio de 2013

Cada um oferece o que tem.

Cada um oferece o que tem no coração. Eu aprendi espalhar amor.

(Rayana Krambeck)


Ela tinha mania de tapar os ouvidos e cantarolar uma canção qualquer, pra não ouvir o mundo dizendo que não ia dar certo.
Ela dormia conversando com as estrelas, e buscando inspiração na capacidade que elas tem de brilhar em meio aquela escuridão sem fim.
E antes de pegar no sono, ela escolhia um momento feliz pro dia seguinte, porque sabia que no amanhã havia mais de uma estrada pra seguir, e suas atitudes decidiriam seu rumo.
(Plantar pensamento positivo, pra colher felicidade.)
Era uma certeza. E todos os dias, a menina crescia por fora, e ainda sim, continuava a ser criança. Não perdia a grandeza que só os pequeninos tem, de acreditar nas pessoas e suas boas intenções. Se agarrava a fé que a infância lhe deu de presente e conquistava, todos os dias, um pedacinho de felicidade, um punhado de paz, e uma gratidão de quem sabe o valor de viver.
Se a gente colhe o que planta, coloca um sorriso no rosto, que logo ele brota na alma.

(Karla Tabalipa)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário